Jornal dia
Seu jornal de notícias

Conquiste a Recuperação: Descubra tudo Sobre o Afastamento pelo INSS!

0

Se já se perguntou como funciona o afastamento pelo INSS e quem tem direito a tal amparo, este artigo é para você. Mergulharemos nos detalhes do processo e entenderemos melhor como se dá o suporte aos trabalhadores em momentos delicados de saúde.

O que é o afastamento pelo INSS?

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) garante amparo a quem precisa se afastar do trabalho por questões de saúde. Existem basicamente três categorias principais: o auxílio-doença, o afastamento por auxílio acidentário e a aposentadoria por invalidez, cada um com seus critérios específicos.

Como solicitar o afastamento pelo INSS?

Iniciar o processo de afastamento pelo INSS requer o preenchimento de alguns procedimentos específicos. Inicialmente, a empresa cobre os primeiros 15 dias de afastamento. Após isso, com uma perícia médica aprovada, o INSS passa a ser responsável. Em casos de acidente de trabalho, há também a cobertura do FGTS.

Leia Mais: INSS INOVA com Segurança por Biometria Para Combater Os Descontos Indevidos! Veja

Quem tem direito ao afastamento do INSS?

Qualquer trabalhador segurado pelo INSS, seja empregado de carteira assinada, doméstico, contribuinte individual, segurado especial ou facultativo, pode solicitar o afastamento, desde que cumpra os requisitos necessários.

  • Auxílio-doença: Para quem tem incapacidade temporária;
  • Auxílio acidentário: Para acidentes de trabalho;
  • Aposentadoria por invalidez: Quando há incapacidade permanente.

Como requerer a perícia do INSS?

O procedimento para agendar a perícia é bastante acessível, envolvendo o acesso ao aplicativo ou site do Meu INSS, onde o segurado pode fornecer suas informações, escolher a melhor data e local para a perícia e confirmar o agendamento.

Leia Mais: Salários de até R$ 7 mil no Concurso Prefeitura de Caçu: Inscreva-se Já Para 97 Vagas!

Quais Doenças são cobertas pelo INSS?

Não há uma lista fechada de doenças que automaticamente garantem o afastamento, mas condições como problemas graves de saúde mental, doenças cardíacas, respiratórias, neurológicas, entre outras, são comumente aceitas, dependendo da avaliação da perícia médica.