Jornal dia
Seu jornal de notícias

Direitos e o Estatuto do Idoso! CONFIRA os desafios enfrentados pela terceira idade!

0

Com uma população que ultrapassa os 33 milhões de pessoas com mais de 60 anos, o Brasil enfrenta o desafinho de se adaptar às necessidades dessa crescente faixa etária. O envelhecimento populacional, fenômeno observado não só aqui mas em várias partes do mundo, demanda uma atenção especial das políticas públicas e de infraestruturas particulares para garantir a qualidade de vida dos idosos.

Dados de organizações internacionais indicam que um indivíduo que chega aos 65 anos tem 70% de chance de necessitar de cuidados longos no restante de sua vida. Diante dessa realidade, é preocupante observar que tanto as entidades públicas quanto as privadas ainda buscam formas mais eficientes de preparação para esse suporte.

Envelhecimento Populacional: Uma Realidade Inevitável que Exige Adaptação

  • População Acima de 60 Anos em Crescimento:
    • Mais de 33 milhões de pessoas com mais de 60 anos no Brasil.
    • Aumento significativo da população idosa no país.
  • Fenômeno Global:
    • Envelhecimento populacional é um desafio observado em diversos países.
    • Tendência demográfica global que exige medidas específicas.
  • Necessidade de Adaptação Urgente:
    • Políticas públicas e infraestruturas precisam ser adaptadas para atender às necessidades dos idosos.
    • Sociedades precisam se preparar para os desafios e oportunidades do envelhecimento.

Como o Estatuto do Idoso protege essa população?

O Estatuto do Idoso, sancionado em 2003, é um pilar na defesa dos direitos dos cidadãos seniores no Brasil. Esta legislação visa assegurar que os idosos desfrutem de todos os direitos fundamentais destinados à pessoa humana, promovendo seu bem-estar físico, mental e social de maneira digna e independente.

Estatuto do Idoso: Garantindo Direitos e Proteção para a Terceira Idade

  • Marco Legal Fundamental:
    • Estatuto do Idoso, sancionado em 2003, é um pilar na defesa dos direitos dos idosos.
    • Legislação garante o acesso a direitos básicos e promove o bem-estar dos idosos.
  • Direitos Fundamentais:
    • Acesso à saúde, educação, cultura, lazer e outros direitos fundamentais.
    • Proteção contra discriminação e violência.
  • Promoção do Bem-Estar:
    • Objetivo de garantir o bem-estar físico, mental e social dos idosos de forma digna e independente.
    • Valorização da autonomia e da qualidade de vida na terceira idade.
Fonte: 
BM&C News
Fonte: BM&C News

Quais são os custos de cuidado para idosos no Brasil?

Um dos grandes obstáculos para muitas famílias no cuidado aos idosos são os custos associados. As Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), ou casas de repouso, apresentam despesas variando entre R$ 4.500,00 e R$ 17.500,00 mensais. Esse valor pode ser ainda mais alto dependendo das instalações e dos profissionais disponíveis. Muitas famílias acabam não tendo condições de arcar com estas despesas e recorrem a cuidadores familiares ou ao sistema público de saúde.

Custos de Cuidado para Idosos: Um Obstáculo Financeiro para Muitas Famílias

  • Despesas Elevadas com Cuidados:
    • Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) podem custar entre R$ 4.500,00 e R$ 17.500,00 mensais.
    • Custos com cuidadores profissionais também podem ser altos.
  • Dificuldades Financeiras para Famílias:
    • Muitas famílias não têm condições de arcar com os custos de cuidado para idosos.
    • Despesas podem gerar pressão financeira e comprometer o orçamento familiar.
  • Alternativas Limitadas:
    • Sistema público de saúde nem sempre supre a demanda por cuidados geriátricos.
    • Cuidadores familiares nem sempre podem oferecer o nível de cuidado necessário.

O que a falta de preparo para o envelhecimento implica?

A ineficiência ou a lentidão na adaptação às necessidades dos idosos pode resultar em uma qualidade de vida inferior para essa população. Além de uma maior probabilidade de sofrerem com negligência, os idosos podem enfrentar isolamento social ou a ausência de cuidados adequados. Também existe uma grande dependência do serviço público de saúde, que nem sempre está totalmente equipado para lidar com a especificidade e a complexidade dos cuidados geriátricos.

É crucial que a sociedade civil participe ativamente na discussão sobre as políticas de envelhecimento. Conhecer o Estatuto do Idoso e suas atualizações é um passo fundamental para garantir que os direitos dos idosos sejam não apenas respeitados, mas também ampliados. A preparação para uma sociedade que envelhece não é apenas uma responsabilidade do governo, mas de todos nós. Enfim, inevitavelmente, envelheceremos, e a forma como preparamos hoje nosso entorno influenciará diretamente na qualidade de vida na terceira idade.