Jornal dia
Seu jornal de notícias

Suspensa a ação contra o Ex-presidente Vale por acontecido em Brumadinho!

0

Em decisão tomada na última quarta-feira (13), a Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 6ª Região (TRF-6) decidiu pela suspensão da ação penal contra o ex-presidente da mineradora Vale, Fábio Schvartsman, referente ao caso da tragédia de Brumadinho que resultou na morte de 272 pessoas.

Ex-presidente Vale, e argumentações

Os desembargadores seguiram o argumento do relator da ação que pontuou a ausência de provas do Ministério Público Federal (MPF) que indicassem a autoria do delito por parte de Schvartsman.

Para a Justiça, a acusação carece de “indícios mínimos de conduta criminosa” do ex-presidente da Vale no episódio.

Suspensa a ação contra o Ex-presidente Vale por acontecido em Brumadinho! (Divulgação)
Suspensa a ação contra o Ex-presidente Vale por acontecido em Brumadinho! (Divulgação)

Leia mais: Saque-Aniversário FGTS 2024: Confira o calendário de pagamentos e novas regras!

O que acontece com os outros réus?

Apesar da decisão favorável a Schvartsman, o processo contra os outros quinze réus, acusados por homicídio qualificado e crimes ambientais, continua normalmente. Caso surjam novas provas, o MPF ainda pode oferecer nova denúncia contra o ex-dirigente da Vale.

Réus no caso Brumadinho:

  • Fábio Schvartsman (ex-presidente da Vale): ação penal suspensa.
  • Silmar Magalhães Silva (diretor da Vale);
  • Lúcio Flavio Gallon Cavalli (diretor da Vale);
  • Joaquim Pedro de Toledo (gerente executivo da Vale);
  • Alexandre de Paula Campanha (gerente executivo da Vale);
  • Renzo Albieri Guimarães Carvalho (gerente da Vale);
  • Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo (gerente da Vale);
  • César Augusto Paulino Grandchamp (geólogo especialista da Vale);
  • Cristina Heloíza da Silva Malheiros (engenheira da Vale);
  • Washington Pirete da Silva (engenheiro especialista da VALE);
  • Felipe Figueiredo Rocha (engenheiro da VALE);
  • Chris-Peter Meier (gerente da Tüv Süd no Brasil; na Alemanha, gestor);
  • Arsênio Negro Junior (consultor técnico da Tüv Süd);
  • André Jum Yassuda (consultor técnico da Tüv Süd);
  • Makoto Namba (coordenador da Tüv Süd);
  • Marsílio Oliveira Cecílio Júnior (especialista da Tüv Süd).

Empresas rés no processo ambiental:

  • Vale S.A.;
  • Tüv Süd Bureau de Projetos e Consultoria LTDA.

Leia mais: STF retoma julgamento da ‘Revisão da Vida Toda’ que pode impactar economia em R$ 480 bilhões!

Postura da Defesa e do MPF

Em comunicado, a defesa de Schvartsman celebrou a decisão afirmando que ela “reconhece a inexistência de qualquer ato ou omissão do ex-presidente da Vale que possuam algum nexo causal com o rompimento da barragem de Brumadinho”.

Por sua vez, o MPF confirmou que aguarda a publicação da decisão para analisar a possibilidade de recurso.

O Pedido de Habeas Corpus

O habeas corpus solicitado por Schvartsman buscava a exclusão do seu nome da lista dos possíveis responsáveis pelo rompimento da barragem.

O argumento era de que ele não tinha conhecimento da situação das barragens e que outras iniciativas de segurança eram responsabilidade de subordinados.

Julgamento Segue para os demais réus

Embora a ação contra Schvartsman tenha sido suspensa, outras 15 pessoas seguem respondendo por acusações relacionadas à tragédia de Brumadinho.

Além disso, no processo que trata sobre os danos ambientais, as empresas Vale S.A. e Tüv Süd Bureau de Projetos e Consultoria LTDA. também são rés.