Jornal dia
Seu jornal de notícias

4 erros que os MEIs podem estar cometendo na hora de garantir a aposentadoria!

0

A jornada de um Microempreendedor Individual (MEI) é repleta de desafios, entre eles, o planejamento da aposentadoria.

Apesar dos benefícios previdenciários serem garantidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), muitos acabam cometendo erros que podem comprometer essa segurança financeira no futuro. Venha conosco e descubra quais são estes deslizes e como evitá-los.

Como se tornar MEI em 2024?

Para se tornar um MEI (Microempreendedor Individual), você precisa seguir alguns passos:

1. Verifique se você se encaixa nos requisitos:

  • Ser maior de 18 anos;
  • Não ser titular ou sócio de outra empresa;
  • Ter um faturamento anual de até R$ 81.000,00;
  • Exercer uma atividade permitida pela legislação do MEI.

2. Acesse o Portal do Empreendedor:

  • Acesse o site
  • Clique em “Quero ser MEI”.

3. Faça o cadastro:

  • Preencha o cadastro com seus dados pessoais e informações sobre sua empresa;
  • Defina o nome fantasia da sua empresa e as atividades que você irá exercer;
  • Escolha o endereço da sua empresa;
  • Emita o Certificado de Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI).

4. Faça a inscrição municipal:

  • Você precisará se inscrever na prefeitura do seu município para obter o alvará de funcionamento da sua empresa.

5. Abra uma conta bancária em nome da sua empresa:

  • A conta bancária é necessária para receber os pagamentos dos seus clientes e para pagar as suas despesas.

6. Contrate um contador:

  • É importante contratar um contador para auxiliar na gestão da sua empresa e para cumprir as obrigações fiscais do MEI.

7. Mantenha-se atualizado sobre as obrigações do MEI:

  • O MEI precisa pagar mensalmente a guia DAS (Documento de Arrecadação Simplificado) e declarar anualmente o seu faturamento.
4 erros que os MEIs podem estar cometendo na hora de garantir a aposentadoria!
4 erros que os MEIs podem estar cometendo na hora de garantir a aposentadoria!

Leia mais: Minha casa, minha vida passa a oferecer moradia gratuita: saiba como solicitar!

1. Não reconhecer o direito ao INSS

Muitos MEIs acreditam que, ao optar por este formato de empreendimento, estarão automaticamente renunciando a alguns benefícios previdenciários. Isso é um equívoco. A contribuição mensal feita ao INSS por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DASN-MEI) garante ao MEI o acesso a benefícios como aposentadoria, salário, maternidade, pensão por morte e auxílio-doença.

Leia mais: Receita federal recompensa bons pagadores com a isenção do imposto? Confira

2. Efetuar pagamento complementar sem necessidade

O segundo engano comum que devemos evitar é efetuar pagamentos complementares ao INSS, utilizando o código 1910, sem avaliar previamente se isso é necessário.

Apesar do MEI contribuir com 5% do salário mínimo, a complementação de 15% pode ser vantajosa para aqueles que desejam se aposentar por tempo de contribuição, mas deve ser analisada cuidadosamente em cada caso.

3. Deixar de pagar o DAS-MEI por mais de 12 meses

A inadimplência por mais de um ano com a Guia DAS-MEI pode resultar na perda da qualidade de segurado, tornando o empreendedor inelegível para benefícios previdenciários. Manter as contribuições em dia é fundamental para garantir a segurança financeira no futuro.

4. Contribuir com o código 1163 sem necessidade

Finalmente, a complementação da contribuição usando o código 1163, sem um plano adequado, pode ser um problema, já que esta categoria não assegura a aposentadoria por tempo de contribuição. É essencial fazer um planejamento previdenciário eficiente para identificar a melhor estratégia de contribuição.

Concluímos que:

Em conclusão, o MEI precisa fazer um planejamento previdenciário cuidadoso para garantir uma transição suave para a vida pós-trabalho. Evitando esses erros e procurando orientação especializada, é possível garantir os direitos previdenciários e assegurar um futuro de aposentado com tranquilidade e dignidade.