Jornal dia
Seu jornal de notícias

Chega de juros abusivos! Banco Central apresenta Pix Crédito em 2023

0

No universo das finanças brasileiras, um velho conhecido dos consumidores, os juros rotativos do cartão de crédito, é apontado como um dos principais vilões para o superendividamento. Em junho deste ano de 2023, a taxa anual média praticada chegou a alarmantes 440%, o que representa aproximadamente 15% ao mês.

Mas afinal, por que os juros do cartão são tão altos?

O conceito de crédito rotativo é oferecido ao consumidor quando ele não consegue realizar o pagamento total da fatura do cartão de crédito até a data de vencimento. Assim, o valor excedente que não foi quitado é transferido para a fatura do mês seguinte. Este montante, no entanto, não vem sozinho, ele é acrescido de juros e somado ao valor originalmente previsto.

Com base nas informações mais recentes divulgadas pelo Banco Central, em julho, as taxas cobradas pelas instituições financeiras variaram entre 0,63% ao mês (7,78% ao ano) e chegaram a cobrar até estrondosos 22,05% a. m. (992,43% a. a.).

Leia Em seguida: Ainda não Sacou seu PIS/Pasep? Saiba como Reivindicar Agora mesmo!

Por que essa variação de juros acontece?

De acordo com especialistas, a cobrança é amplificada pela aplicação de juros compostos — também conhecidos como “juros sobre juros”. Este recurso acelera o crescimento do valor da dívida de forma exponencial, tornando cada vez mais difícil a quitação do saldo devedor por parte do consumidor.

Leia Em seguida: CONFIRMADO! Salário Mínimo é Maior Que O Esperado!

O que o Banco Central planeja fazer a respeito?

Em busca de uma solução, Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, afirmou que a instituição está avaliando alternativas para diminuir a inadimplência nessas operações. Uma dessas possíveis estratégias é a implementação de uma nova ferramenta financeira: o Pix Crédito.

O Pix, introduzido em 2021, é uma opção de pagamento que ganhou popularidade devido à sua agilidade e simplicidade. Com o lançamento do Pix Crédito, espera-se proporcionar uma significativa melhoria na experiência do consumidor. Ainda que não tenha sido oficialmente lançado e seus detalhes não estejam inteiramente claros, estima-se que os bancos possam oferecer empréstimos por meio desta ferramenta, inclusive com a opção de parcelamento, similar ao atual formato do cartão de crédito.

Com a efetividade deste projeto, o Banco Central pretende oferecer novas alternativas ao sistema de crédito rotativo. Em um mercado dominado pela utilização do cartão de crédito, é imprescindível que surjam estratégias inovadoras e criativas, que possam facilitar a vida financeira dos brasileiros e, sobretudo, evitar a prática de juros excessivos. A atuação do Banco Central nesse cenário vem em boa hora e é fundamental para auxiliar o consumidor a gerir melhor suas finanças.